DE MARIANA – Durante a primeira sessão como vereador na Câmara de Mariana, Ronaldo Bento (PSB) já mostrava indícios de que seria o novo líder de governo do prefeito Duarte Júnior (PPS). Além dele, também foi definido que o vice-líder será o parlamentar Cristiano Vilas Boas (PT), opositor ao prefeito durante o último mandato.

Ao longo da reunião, no dia 30, o nome de Ronaldo Bento era o mais cotado para o cargo de confiança do prefeito. As suposições aumentaram ainda mais devido à sua postura durante a sessão. Ao longo de quatro minutos de discurso, o vereador fez elogios ao prefeito da cidade e ao projeto que corta 15% do salário de 409 servidores comissionados, enviado por Duarte Júnior à Câmara.

“Com muita maestria e sabedoria o prefeito conseguiu fazer essa redução ínfima no salário. Acredito que essa forma sábia e de maestria em que foi concebido [o projeto] pelo prefeito municipal com sua equipe de governo não poderia ter sido melhor. Esse projeto eu acredito que traz um avanço para nossa Mariana. Sempre que chegar um projeto dessa envergadura, dessa magnitude, nós aqui não vamos nos furtar de darmos parecer favorável. Terá o meu voto e peço a todos os pares que deem voto favorável. Votando favorável a esse projeto, estamos votando o progresso da cidade e preservando a nossa cadeia de emprego”, afirmou o parlamentar.

Após o fim da reunião com os elogios, Ronaldo Bento tentou negar a hipótese de se tornar o novo líder de governo e a aproximação com Duarte Júnior.

“Eu não estou aqui representando o prefeito, não sou líder de governo. Eu estou aqui representando aos munícipes, a população. Eu não sou da bancada de situação e nem da oposição, eu sou da bancada do povo”, disse em entrevista ao VERTICES.

Silêncio do vice

Diferentemente do colega de bancada, o vice-líder de governo e ex-oposição Cristiano Villas Boas evitou se expressar durante a apresentação do projeto, se limitando apenas a votar favorável.

Para a reportagem do VERTICES, após a reunião, Cristiano alegou que percebeu “algumas falhas no projeto, mas que no geral era necessário aprovar para que a administração pública começasse a acertar os passos”.

Assim como Cristiano e Ronaldo Bento, os demais 12 parlamentares votaram favoráveis ao projeto, que passou na Casa por unanimidade. Apenas o vereador José Jarbas estava ausente na sessão.

Oposição desorganizada

Apesar do parlamentar Geraldo Sales (PDT) afirmar que existem quatro vereadores na oposição, Bruno Mól (PMDB), Daniely Alves (PR), José Jarbas (PTB) e Marcelo Macedo (PSDB), dentro das próprias sessões os vereadores se contradizem.  As falas deixam claro que não se sabe ao certo quem é oposição na Câmara.

Daniely Alves, vereadora apontada como oposição ao prefeito, disse durante a sessão de redução do salário dos servidores comissionados, o qual ela também foi favorável, que não estava ali “para fazer oposição alguma ao prefeito”, acrescentando que o palanque político havia acabado.

Marcelo Macedo, até então o novo membro da bancada de oposição, reiterou três vezes nesta mesma sessão que ninguém estava “querendo fazer oposição radical contra a Prefeitura”.

COMENTE

You may also like

Comments

Comments are closed.