DE MARIANA – Convocada pelas centrais sindicais brasileiras, a Greve Geral levou às ruas trabalhadores, coletivos sociais e sindicatos na última sexta-feira (30), em Mariana. Os manifestantes saíram da Praça da Sé e seguiram pelo Centro até a Praça Minas Gerais.

A greve de sexta, porém, teve menor adesão do que a anterior, no dia 28 de abril deste ano, que entrou para a história como a maior Greve Geral desde 1989 no país. A mobilização nacional foi contra as reformas trabalhistas e previdenciárias do governo de Michel Temer (PMDB) e a favor da saída do presidente do poder.

Histórico de protestos

Cerca de mil pessoas participaram das reivindicações em Mariana durante a greve de abril, que mobilizou discursos de trabalhadores e representantes sindicais.

A fanfarra da ‘Escola Estadual Coronel Benjamin Guimarães’ e o ‘Bloco do Boqueirão’, ambos do distrito de Passagem de Mariana, também estiveram presentes. Mesmo com a chuva forte, uma passeata saiu pela cidade, percorrendo o centro comercial aos gritos de ordem de “Fora, Temer” e “A nossa luta unificou, é estudante, professor e trabalhador”.

COMENTE

Você pode ler também

Comentários

Os comentários estão encerrados.