Parece que, finalmente, depois de grande expectativa, ele chegou. Há muito tempo todo mundo só dizia: “tá demorando vir, não é?”. Os comentários eram sempre de grande receio pela sua chegada, mas também de desconfiança e até certa preocupação pelo atraso. Uns jamais queriam que ele tivesse chegado. Outros já estavam ansiosos pelo momento em que ele batesse à porta. Sinto calafrios só de imaginar o tempo que ele irá permanecer. Não é fácil ter que tolerar sua presença sozinho. Afinal, é sempre bom ter alguém pra esquentar os pés quando o frio chega.

De manhã, já é possível notar as mãos acomodadas nos bolsos ou se esfregando uma na outra na tentativa de gerar calor. É difícil ter que sair cedinho de casa quando a névoa fria sob o Parque do Itacolomi ainda não se dissipou completamente. Os raios de sol quase não chegam à superfície e você os está procurando para se aquecer. São poucos – e privilegiados – os que podem aproveitar as manhãs debaixo de cobertores quentes.

Há quem diga que é nessa época do ano (outono-inverno) que as pessoas se vestem de maneira mais elegante. “Ah, como o frio é charmoso. Agora posso colocar aquela bota e o cachecol”, comentam. Mas não acho que seja bem assim. Até acho que, se a sociedade estivesse preparada, todos sairiam enrolados no cobertor, com uma xícara de café e pelo menos duas meias nos pés e uma pantufa. Isso não seria nada elegante! Ah, e os pés? Como eles podem ficar tão gelados nessa época? Até hoje não descobri qual a melhor maneira de aquecê-los. Já vesti duas, três meias; os enrolei numa coberta bem quente depois do banho. Já os esfreguei com as mãos quentes e nada… Como diz minha mãe: “Os pés ficam frios igual perereca, sapo e rã na beira do brejo”.

 

O Inverno serve também para estreitar os laços com os amigos ao redor de uma fogueira, e olha que dá até para ser a desculpa que você precisava para pedir aquele abraço gostoso do crush.

 

Tem aqueles truques que você ouve entre amigos, e que dizem aliviar o frio. Parece que colocar as mãos nas costas do seu “Mô”- debaixo do moletom quente, é uma estratégia muito boa para que elas se esquentem rapidinho. Nunca fiz o teste com medo de ficar solteiro. Mas, se alguém tiver coragem, que faça o teste e compartilhe com os leitores aqui da coluna. Vai que dá certo, não é mesmo?

Outra coisa: não sei vocês, mas quando o frio bate em minha porta, com chuva fina na janela e tudo o que ele acha que tem direito -inclusive resfriado, eu só quero que ele volte no fim de semana pra eu poder dormir até tarde, ficar o dia todo enroladinho no cobertor e assistir minhas séries e filmes prediletos. No máximo, eu só sairia do aconchego (que sempre pede uma boa companhia) se fosse para fazer café. E mesmo assim, faria uma garrafa bem cheia, compraria chocolates amargos, faria estoque de comida e ficaria grudadinho tentando me aquecer. Só sairia da cama se houvesse uma liminar do juiz federal lá de Curitiba, com uma ordem de condução coercitiva, me obrigando a depor em alguma investigação. Mesmo assim, os policiais teriam muito trabalho porque eu só iria se fossem me levar de pijama e enrolado na coberta.

Agora, uma coisa sobre o frio e que você há de concordar é que ele vem para unir as pessoas, nem que seja só por algumas noites. Quem é que nunca ligou para o “mozão” numa noite fria, com voz de carente, e pediu para dormir agarradinho? Ou quem já não brigou por causa da louça na pia que ninguém quis lavar com medo de congelar os dedos e, no meio da noite, não deu aquela “arredadinha” básica só para sentir o calor e o aconchego? Atire o primeiro brigadeiro quem é que não sentiu uma vontade de fazer essa delícia antes do filminho debaixo do cobertor.

É… frio não é apenas aquela época de ficar com os lábios rachados, os pés gelados, e coriza por causa de resfriado. Ele também chega para aproximar os corpos que se amam, aquecer os corações solitários que vão em busca de um cobertor de orelha, e unir a família em torno do fogão à lenha ou ao redor da mesa com um sopão que só o Mestre Cuca da família ou a avó sabem fazer. O Inverno serve também para estreitar os laços com os amigos ao redor de uma fogueira, e olha que dá até para ser a desculpa que você precisava para pedir aquele abraço gostoso do crush. É ou não é uma boa ideia, hein?

As informações e opiniões expressas nesta coluna são de responsabilidade única do autor.

COMENTE

You may also like

Comments

Comments are closed.